- Dribles, chapéus e belos chutes -

 

 

 

Eu tenho um sonho,
um sonho de moleque.
Um sonho inocente
de um moleque carente.

Carente não de sonhos
mas sim de realizações.
Carente de glórias
e também de vitórias.

Admirado com desprezo.
Ajudado com apego,
à aquilo que todos acham realmente importante
altamente radiante.

Alguns são simplesmente incapacitados
de acreditar,
de botar fé,
de apostar suas fichas.

Já outros,
em mim confiam,
em mim acreditam.
Vêem em mim, talvez a saída
ou a solução para um futuro melhor.

Sempre que vou dormir
vejo-me correndo,
chutando, balançando a rede.
Comemorando, gritando
e vibrando com outras tantas pessoas,
as quais me assistem com orgulho.

Eu em  meus sonhos sou aquele
que brilha,
que arrasa,
que encanta numa final de campeonato.

Sou a carta que escondem debaixo da manga,
o grande trunfo,
a inesperada arma,
que bota medo nos adversários.

Eu em meus sonhos minha gente
continuo sendo um moleque
mas não um moleque qualquer.
Continuo sim sendo um moleque
mas um moleque com uma bola no pé.

Um moleque que conquistou o respeito
de quem antes o desprezava.
Um moleque que ganhou o direito
de ter dignidade e uma bela casa.

Nos meus sonhos eu sou um moleque
que melhorou de vida fazendo graça.
Que encontrou seu maior dom
no campinho ali na praça.

 

Obrigada,volte sempre e até mais ver ! beijos.beijinhos :*

Texto escrito para o Palavras Mil.



17h43 |




[ página principal ]